Publicações

Nós e as Desigualdades 2019

Relatório analisa segunda pesquisa de opinião sobre desigualdades no Brasil produzida pela Oxfam Brasil em parceria com o Instituto Datafolha. Foram entrevistadas 2.086 pessoas em 130 municípios brasileiros, de todas as regiões do país, entre os dias 12 e 18 de fevereiro de 2019, para a pesquisa, que traça um perfil acurado das percepções dos brasileiros sobre as desigualdades de renda, raça e gênero no país.

Bem público ou riqueza privada?

A nossa economia está falida, com centenas de milhões de pessoas vivendo na extrema pobreza, enquanto quem está no topo recebe enormes recompensas. O número de bilionários duplicou desde a crise financeira de 2007-08, mas os super-ricos e as grandes empresas estão pagando o menor nível de impostos em décadas.

País Estagnado

A roda da redução das desigualdades no Brasil parou de girar. A distribuição de renda estagnou, a pobreza voltou com força e a equiparação de renda entre homens e mulheres, e negros e brancos, que vinha acontecendo ainda que timidamente, recuou. São retrocessos inaceitáveis para um país cuja maioria é justamente de pobres, negros e mulheres.

Não é Não

À medida que as empresas brasileiras deslocaram suas operações e cadeias produtivas para áreas remotas em outros países incorreram no risco de gerar impactos negativos sobre a terra e os recursos naturais das comunidades e dos povos indígenas que ali habitam.

Empoderamento econômico das mulheres no Brasil

As autoras Marilane Oliveira Teixeira, economia e doutora em desenvolvimento econômico e pesquisadora na área de relações de trabalho e gênero, e Nalu Faria, psicóloga, coordenadora da Sempre Viva Organização Feminista (SOF) e militante da Marcha Mundial das Mulheres, discutem a questão do trabalho doméstico e cuidado não remunerado no Brasil, o trabalho feminino e a inserção e permanência das mulheres no mercado de trabalho do país.

Hora de Mudar

Os grandes supermercados do mundo estão lucrando bilhões ano após ano a um custo muito alto: péssimas condições de trabalho, pobreza e sofrimento para milhões de homens e mulheres trabalhadoras e agricultores em diversas partes do planeta. A situação é tão desesperadora que muitos dos que produzem nossos alimentos mal têm o que comer. Está mais do que na hora de mudar essa realidade.

À Procura da Cooperação Sul-Sul no Orçamento Federal

Resultado de uma iniciativa do Articulação SUL com apoio da Oxfam Brasil e em diálogo com atores governamentais e não governamentais, o relatório À procura da cooperação Sul-Sul no orçamento federal traz uma proposta de mensuração da cooperação internacional do Brasil a partir de dados oficiais acessíveis publicamente.

Sistemas de país e salvaguardas ambientais em instituições de financiamento do desenvolvimento

Relatório discute o uso de sistemas nacionais de salvaguarda por Instituições Financeiras de Desenvolvimento, com foco em questões socioambientais. São comparadas sete instituições: seis bancos multilaterais e um banco nacional de desenvolvimento. Para cada uma das instituições analisadas, a pesquisa buscou desvendar seu compromisso em fazer um maior uso dos sistemas nacionais de salvaguarda para a avaliação e mitigação dos impactos socioambientais.

BRICS e o desenvolvimento com equidade de gênero

A cartilha “BRICS e o Desenvolvimento com sustentabilidade e equidade de Gênero”, elaborada pelo Instituto EQUIT com o apoio da REBRIP e da Oxfam, examina questões relacionadas às ações do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD) do bloco a partir da perspectiva de gênero - da composição da equipe do banco a condicionalidades para o financiamento e monitoramento de projetos aprovados na sua implementação. O relatório foi apresentado durante a 2a.

Recompensem o Trabalho, Não a Riqueza

Relatório lançado em janeiro de 2018, às vésperas do Fórum Econômico Mundial, realizado em Davos, Suíça, que reúne as lideranças empresariais globais. O relatório revela como o modelo econômico mundial tem possibilitado que alguns poucos empresários acumulem enormes fortunas enquanto milhões de pessoas lutam para sobreviver com baixos salários e em condições precárias de trabalho.

Páginas