Nós e as Desigualdades 2017

A Oxfam Brasil, em parceria com o Instituto Datafolha, lançou uma pesquisa de percepção pública para investigar o que pensam os brasileiros sobre as desigualdades no país. Os resultados são significativos. Os dados da pesquisa foram coletados em agosto de 2017 e publicados em dezembro.

A pesquisa aponta que a população percebe as desigualdades, suas causas e soluções – o que consideramos condição fundamental para mudarmos o estado das coisas. E também revela grandes desafios para a agenda de redução das desigualdades no Brasil.

Leia nossa nota informativa Nós e as Desigualdades (ao lado), em que analisamos os resultados da pesquisa Oxfam Brasil/Datafolha, oferecendo reflexões sobre os desafios para alimentar o necessário debate público.

A desigualdade é percebida majoritariamente como diferença socioeconômica

39% classificam desigualdade como diferença socioeconômica

8% a classificam como carência de recursos e serviços, segundo maior grupo

Corrupção, falta de emprego e de educação são principais causas

81% dos brasileiros acreditam que a corrupção “contribui muito” para as desigualdades

70% o desemprego

66% a educação

Os ricos são “os outros”

88% declaram estar entre a metade mais pobre numa escala pobreza-riqueza de 0 a 100

47% dos brasileiros acreditam serem necessários mais de R$ 20 mil mensais para ser parte dos 10% mais ricos 

Combate às desigualdades é papel dos governos

79% acreditam que o combate às desigualdades é obrigação de governos 

MÉRITO NÃO EXPLICA DESIGUALDADES

60% discordam que pobres que trabalham muito têm iguais oportunidades que ricos

55% não acreditam que crianças pobres com estudo têm oportunidades iguais às de crianças ricas

DISCRIMINAÇÃO CONTRA MULHERES E NEGROS TÊM GRANDE IMPACTO EM DESIGUALDADES

57% acreditam que mulheres ganham menos por serem mulheres

46% acreditam que negros ganham menos por serem negros

COMBATE ÀS DESIGUALDADES É PAPEL DO ESTADO

79% acreditam que o combate às desigualdades é obrigação de governos

AUMENTO DE IMPOSTOS? SIM, PARA OS MUITO RICOS

75% dos brasileiros são contra o aumento geral de impostos para custear políticas sociais

71% são a favor do aumento de impostos para pessoas muito ricas

Compartilhe nossos cards

Doe agora

Seu apoio ajuda a mudar vidas

Cadastre-se para receber nossa newsletter