Agência Pública e Oxfam Brasil oferecem bolsas para reportagens sobre fome

Quatro ganhadores receberão auxílio de R$ 7 mil para produzir as pautas. Inscrições vão até 21 de setembro
O número de pessoas em situação de extrema pobreza voltou a crescer entre 2015 e 2017, e com isso o fantasma da fome volta a assombrar o Brasil. E pior: não há perspectiva de melhora no curto e médio prazos, devido ao corte de gastos sociais promovido pela Lei de Teto dos Gastos (EC 95), que limita o investimento do governo em políticas e ações de enfrentamento à fome e à pobreza.

Para investigar o assunto e oferecer subsídios à discussão de como enfrentar os problemas que voltam a assustar milhões de brasileiros, a Oxfam Brasil e a Agência Pública lançam nesta segunda-feira (20/8) o concurso Microbolsas Fome, para a produção de reportagens investigativas sobre o tema. O prazo de inscrição aos candidatos termina no dia 21 de setembro. Quatro propostas serão escolhidas como vencedoras receberão R$ 7 mil e uma mentoria da Agência Pública para a produção das reportagens.

Para se inscrever, preencha este formulário.

O relatório A Distância Que Nos Une, que a Oxfam Brasil lançou em setembro de 2017, revela como as muitas desigualdades brasileiras - de renda, riqueza, raça e gênero - se relacionam com a distribuição de serviços básicos e têm impacto na Saúde, na Educação e renda familiar da população. Quanto mais desigual for o país, menos pessoas conseguem sair do ciclo da pobreza - principalmente em tempos de crise econômica como a que vivemos.

Pautas detalhadas

As pautas propostas devem ser detalhadas, com os interessados sendo obrigados a apresentarem a pré-apuração, um plano de trabalho e orçamento. Serão aceitas propostas de reportagens escritas, em vídeo, áudio ou multimídia, desde que sejam investigativas. Leia aqui a íntegra do regulamento.

"Um relatório produzido por mais de 20 organizações da sociedade civil, de julho do ano passado, mostra que a pobreza e a fome voltaram a crescer entre 2015 e 2017, sem perspectiva de melhoria devido aos cortes promovidos pela lei do Teto de Gastos. É inaceitável a postura das autoridades de ignorar essa realidade e não tomar providências para combater a fome em um país rico em recursos para a produção de alimentos como o nosso" diz Marina Amaral, co-diretora da Agência Pública.

O objetivo do concurso é produzir informações bem apuradas e relevantes sobre a situação da fome no Brasil sob diferentes pontos de vista.

“É inaceitável a desigualdade e o sofrimento humano que vemos em um sistema de produção de alimentos que gera muita riqueza. Temos diferentes atores que são responsáveis por isso: o governo, com os cortes que faz em políticas de combate à fome e apoio à agricultura familiar; e as grandes empresas, que se apropriam da maior parte da riqueza gerada, empurrando agricultores e trabalhadores para a pobreza, e deixando milhões de pessoas sem acesso a alimentos saudáveis”, afirma Gustavo Ferroni, assessor sênior de Política e Incidência da Oxfam Brasil.

A Agência Pública e a Oxfam Brasil vão definir em conjunto as quatro pautas vencedoras. As reportagens serão editadas pela Pública, que vai acompanhar os repórteres durante a realização da pauta, editar, publicar e distribuir o conteúdo para seus parceiros republicadores.