EMERGÊNCIA COVID-19: sua solidariedade protege famílias

 

DaPenha

Conte um pouco sobre sua história.

Eu sou nascida e criada em Campo Grande, que é o bairro mais populoso da América Latina. Sou de uma parte mais interiorana do bairro, de uma família bem pobre e desde criança enfrentei muitas dificuldades. O desenho foi a forma que encontrei de lidar com minha realidade e me expressar, faço isso desde os quatro anos de idade, hoje sou formada em design e ilustração.

Como você vê as desigualdades brasileiras?

Pude ver as desigualdades bem de perto, já que faço parte de minorias. Ser uma mulherpreta e bissexual é algo muito difícil. As desigualdades que vemos em nosso país são incentivadas e financiadas por aqueles que se encontram no poder do Estado. Carecemos de medidas mais efetivas e ações afirmativas que façam a diferença para todas minorias.

Fale um pouco sobre o seu desenho no projeto.

A minha ilustração retrata algo que minha mãe viveu, assim como a mãe dela, e assimcomo diversas pessoas do meu bairro. Cerca de 16% da população brasileira não tem acesso à rede geral de abastecimento de água. Na minha ilustração quis representar a luta diária dessas pessoas, focando na mulher negra (que está sempre mais vulnerável a todo tipo de violência e descaso).

Faça uma doação e garanta o seu calendário 2021 da Oxfam Brasil!

imagem do banner
Cadastre-se
Junte-se a nós para contribuir para as mudanças que queremos na sociedade brasileira.
Cadastre-se agora para receber mais informações!
Ao se cadastrar, você concorda com a política de privacidade da Oxfam Brasil

A Oxfam Brasil utiliza cookies para melhorar a sua experiência

Ao continuar navegando na nossa página, você autoriza o uso de cookies pelo site.