Marielle Franco

Festival em homenagem a Marielle Franco lembra a força de seu legado

Muita emoção, ativismo e protestos deram o tom do Festival Justiça por Marielle e Anderson realizado ontem (14/3) no Rio de Janeiro para marcar o primeiro aniversário dos assassinatos da vereadora carioca e do motorista que a acompanhava na noite do crime que chocou o país.

Atividade realizada no Rio de Janeiro marcou o aniversário do assassinato da vereadora e seu motorista, Anderson Gomes
Foto: Clarice Lissovsky

1 ano sem Marielle: mataram uma voz, levantaram milhares!

Hoje faz um ano da morte de Marielle Franco, assassinada covardemente com 13 tiros na região central do Rio de Janeiro juntamente com o motorista Anderson Pedro Gomes. A evidente execução premeditada da vereadora e ativista dos direitos humanos tinha como objetivo calar uma poderosa voz - feminista, negra, lésbica, política - mas teve o efeito contrário, fazendo surgir milhares de outras vozes, para levar adiante sua luta e suas bandeiras.

Nota da Oxfam Brasil

#QuemMatouMarielle - um mês sem respostas

Há um mês, um crime hediondo causou comoção, indignação e revolta no país e no mundo. A vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Pedro Gomes foram assassinados a tiros no Rio de Janeiro por pessoas ainda não identificadas, deixando a forte indicação de se tratou de uma execução política. Marielle, mulher negra, lésbica, favelada e ativista dos direitos humanos, frequentemente denunciava as ações de policiais e milícias contra as populações de favelas e periferias cariocas, vítimas da mesma violência que ela sofreu.

As mortes de Marielle e Anderson precisam ser solucionadas com urgência. Não é admissível que passem impunes

NOTA DA OXFAM BRASIL SOBRE O ASSASSINATO DA VEREADORA MARIELLE FRANCO

Oded Grajew – Presidente do Conselho Deliberativo

Katia Maia – Diretora Executiva

 

Um crime bárbaro chocou o Brasil na noite desta quarta-feira (14/3). A vereadora e ativista dos direitos humanos, Marielle Franco, foi assassinada na região central do Rio de Janeiro em uma evidente situação de execução premeditada. O motorista que a acompanhava, Anderson Pedro Gomes, também morreu.