Desigualdades nas Cidades

Menssagem de erro

Notice: unserialize(): Error at offset 2306 of 2882 bytes in variable_initialize() (line 935 of /home/oxfamorg/public_html/includes/bootstrap.inc).

No Brasil, as grandes cidades refletem a exclusão, a discriminação social e as desigualdades. Atualmente, 84% da população vivem em áreas urbanas e mais de 11,4 milhões de pessoas moram em favelas.

O processo de urbanização brasileiro é intenso e é no espaço urbano que as desigualdades têm sido moldadas ao longo do tempo, comprometendo a garantia dos direitos humanos e as oportunidades de participação democrática.

As desigualdades minam direitos individuais e coletivos e inibem o desenvolvimento de democracias inclusivas. O poder político se concentra nas mãos de poucos, enquanto pessoas que vivem em condição de pobreza, especialmente mulheres e negros e negras, têm acesso limitado a processos de tomada de decisão política.

Apesar das barreiras cotidianas para a sobrevivência, as juventudes de periferias urbanas e favelas brasileiras estão gerando formas inovadoras de mobilização na defesa dos direitos. Fortes expressões nos campos da cultura e da política são exemplos disso. A Oxfam Brasil, juntamente com organizações parceiras, aposta em valorizar e fortalecer essas vozes.

Agenda de trabalho

Para enfrentar a exclusão social e as desigualdades, é prioritário aumentar a capacidade de mobilização e organização da sociedade civil, fortalecendo coletivos e movimentos juvenis que atuem pela superação das desigualdades de raça e gênero.

A atuação inicial da Oxfam Brasil, em parceria com outras organizações, se concentra em:

• Fortalecer a capacidade de jovens que vivem nas periferias urbanas e favelas brasileiras de demandarem seus direitos e influenciarem políticas que reduzam as desigualdades, sobretudo de raça e gênero.

• Apoiar coletivos juvenis, seus processos de interação e sua luta contra as desigualdades no espaço urbano.

• Valorizar e disseminar narrativas da juventude de periferias e favelas, afirmando valores de justiça, solidariedade, equidade e diversidade.

• Promover pontes para o diálogo internacional e trocas de conhecimento entre coletivos juvenis que atuem no espaço urbano.

• Desenvolver estratégias de engajamento e campanhas públicas que destaquem o contraste entre privilégios e direitos nas cidades.

• Contribuir para que o Brasil alcance os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), criado pelas Nações Unidas, especificamente o de número 10 – Redução das Desigualdades.