Oxfam Brasil participa do Fórum Social Mundial 2018

Evento tem início amanhã, em Salvador, com previsão de reunir mais de 60 mil pessoas em Salvador
seg, 12/03/2018 - 17:57

O presidente do Conselho Deliberativo da Oxfam Brasil, Oded Grajew; a diretora executiva da organização, Katia Maia; e o coordenador de campanhas, Rafael Georges, participam esta semana da 13ª edição do Fórum Social Mundial, em Salvador (BA), para discutir o tema das desigualdades.

As apresentações da Oxfam Brasil vão ocorrer na quarta (14/3) e quinta-feira (15/3), sempre no Campus Ondina da Universidade Federal da Bahia (UFBA). 

Katia Maia participará do debate Desigualdades - Quais, Por Que, Até Quando?, das 12h às 13h15 de quarta-feira (14/3), dentro do Colóquio Brasil "Estado de Exceção - Desigualdades, Fragilidade Democrática e Poder das Elites, no auditório da Faculdade de Direito da UFBA, juntamente com Tereza Campello, ex-ministra de Desenvolvimento Social e pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz.

Já Oded Grajew e Rafael Georges participarão, na quinta-feira (15/3) das 9h30 às 12h45, do seminário “Caminhos para a redução das desigualdades no Brasil - Por um Brasil mais igual, justo e solidário”, que faz parte da temática “Território Desenvolvimento, Justiça Social e Ambiental” do Fórum. Outros convidados desta sessão são: Iara Pietricovsky (Instituto de Estudos Socioeconômicos – INESC ), Jorge Abrahão (Programa Cidades Sustentáveis e Rede Nossa São Paulo), Frei Betto (escritor), Cida Bento (Centro de Estudos das relações do Trabalho e Desigualdades  - CEERT e Fórum Permanente pela Igualdade Racial e da Articulação de Mulheres Negras Brasileiras). Realizado pelo Programa Cidades Sustentáveis, o seminário será no Pavilhão de Aulas da Federação (PAF) III da UFBA - Sala 308.

Assim como os demais eventos do Fórum Social Mundial, as duas participações da Oxfam Brasil darão espaço ao debate democrático sobre as causas e consequências das desigualdades brasileiras, seja ela de renda, patrimônio, raça ou gênero, conforme diagnóstico feito no relatório A Distância Que Nos Une - Um Retrato das Desigualdades Brasileiras, lançado em setembro do ano passado.

Para ver o relatório, clique aqui.

A expectativa é de que 60 mil pessoas, vindas de várias partes do mundo, estarão na capital baiana durante esta semana. Com o lema “Resistir é criar. Resistir é transformar!”, o objetivo do Fórum é repensar o papel do ser humano na busca de “Um outro mundo possível”.

Doe agora

Seu apoio ajuda a mudar vidas

Cadastre-se para receber nossa newsletter